erupção solar

O fenômeno foi frequente no fim de junho, altura em que o vídeo foi captado pelo Observatório Solar da NASA.

Por João Pedro Pincha/Observador

Parece um misto de pó e de tinta a esvoaçar, mas não são efeitos especiais. É o Sol em convulsão, numa das mais intensas erupções registadas em vídeo nos últimos tempos. Esta é de 18 de junho e foi partilhada pela NASA, agência espacial norte-americana, na madrugada do primeiro dia de julho.

O vídeo regista aproximadamente quatro horas do fenómeno, que se repetiu diversas vezes no fim de junho. Pela intensidade que atingiu, esta erupção solar evoluiu e tornou-se uma ejeção de massa coronal, o que significa que foi libertada uma grande quantidade de matéria solar para o espaço. Em alguns casos, esta matéria libertada pode ser prejudicial à vida na Terra, uma vez que é responsável por tempestades que afetam os sistemas elétricos e de comunicações.