O conteúdo do EcoDesenvolvimento.org está sob Licença Creative Commons. Para o uso dessas informações é preciso citar a fonte e o link ativo do Portal EcoD. http://www.ecodesenvolvimento.org/posts/2015/fevereiro/video-da-nasa-mostra-que-poeira-do-saara-viaja-ate?tag=ciencia-e-tecnologia#ixzz3SxOdZCIW  Condições de uso do conteúdo  Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives Vídeo mostra poeira transportada do deserto do Saara para a floresta amazônica Foto: Nasa/Reprodução

Vídeo mostra poeira transportada do deserto do Saara para a floresta amazônica
Foto: Nasa/Reprodução

Redação EcoDesenvolvimento

Existem mais coisas entre o deserto do Saara e a floresta amazônica do que supõe a nossa vã filosofia. Prova disso é um vídeo criado pela Nasa cujas imagens mostram que, apesar dos mais de 2.500 quilômetros de distância, o deserto do Saara e a floresta amazônica estão mais ligados do que parece.

A agência espacial norte-americana coletou dados entre 2007 e 2013 que mostram a relação entre o deserto, que ocupa um terço do território africano, e a maior floresta tropical do mundo.

O estudo mostra que cerca de 182 milhões de toneladas de poeira atravessam o oceano Atlântico todos os anos, saindo do Saara para o continente americano. É a primeira vez que a Nasa consegue quantificar quanta poeira faz essa viagem.

Descoberta faz parte de uma pesquisa que visa compreender o papel da poeira e outros agentes no meio ambiente e no clima local e global

Do total, 27,7 milhões de toneladas caem na floresta, trazendo diversos nutrientes, como o fósforo.

A região amazônica recebe em média 22 mil toneladas de fósforo, que funciona como um fertilizante e é fundamental para o crescimento das plantas, compensando as perdas desse nutriente durante as chuvas e inundações.

Chuvas

O estudo também mostra que a quantidade de poeira transportada depende das chuvas que ocorrem no Sahel, região ao sul do Saara. Quando as chuvas aumentam, a quantidade de poeira transportada no ano seguinte para a floresta é menor.

A descoberta faz parte de uma pesquisa que visa compreender o papel da poeira e outros agentes no meio ambiente e no clima local e global.

Veja a viagem que a poeira do Saara faz em direção ao continente americano: