tubinha pintadinha

Por Daniel Valle/Ecopensar.com

O nascimento de um filhote de tubarão-lixa (Ginglymostoma cirratum) no tanque do Centro de Visitantes do Projeto Tamar localizado na Praia do Forte surpreendeu os pesquisadores.

Conforme relato da médica veterinária, Thaís Pires, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação das Tartarugas Marinhas (Tamar), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), animais selvagens dificilmente se reproduzem em cativeiro. O nascimento de filhotes pode indicar que os exemplares estão se sentindo bem, mesmo fora de seu ambiente natural. O novo tubarão está em observação e já se alimenta de pedaços de lulas.

O filhote da espécie que corre risco de extinção nasceu com 26 cm de comprimento, e já estava nadando quando foi identificado, no começo do mês. Fruto de um casal de tubarão-lixa capturados incidentalmente por pescadores há dez anos, os tubarões ajudam no trabalho de sensibilização e educação ambiental realizado com os visitantes.

A captura incidental é considerada, atualmente, a principal ameaça às populações de tartarugas marinhas e outros animais também sofrem as consequências. No Brasil, assim como no resto do mundo, a pesca do arrasto do camarão e com espinhéis em alto mar são dois dos principais tipos que interagem com as tartarugas. Com informações: ICMBio.

 

Veja o vídeo do “Tubinha Pintadinha” que é o nome do tubarãozinho.