REVISTA BRASIL ESCOLA

Os sabões e os detergentes são usados para remover sujeiras e, principalmente, gorduras dos materiais. Mas qual é a diferença entre os dois? Há mais vantagem em se usar o sabão ou o detergente? E com relação ao meio ambiente? Qual polui menos?

Vejamos a estrutura de cada um, para chegarmos a uma resposta satisfatória.
Os sabões possuem a seguinte estrutura típica:

Estrutura típica dos sabões.

Estrutura típica dos sabões.

Observe que ele possui uma parte apolar, representada pela cor azul, que interage com a gordura e com o óleo, que também são apolares; e apresenta uma parte polar (em amarelo), que interage com a água.

A estrutura dos detergentes também possui uma parte polar e uma apolar, conforme pode ser visto a seguir:

Estrutura típica dos detergentes.

Estrutura típica dos detergentes.

O ponto ao qual queremos chamar a atenção, e que pode ser observado pela comparação entre as duas estruturas, é que os detergentes mais comuns são sais derivados do ácido sulfúrico (H2SO4), que é um ácido forte e traz mais danos ao meio ambiente. Por isso, há a presença do enxofre (S) na estrutura do detergente. A matéria-prima básica dos detergentes é o petróleo, que é um recurso energético fóssil não renovável.

Além disso, o caso mostrado acima é de um detergente biodegradável, porém existem alguns detergentes, que são aqueles que apresentam ramificações na sua estrutura, que não são biodegradáveis, ou seja, não são degradados pelos microrganismos e se forem despejados em rios e lagos podem causar graves efeitos ambientais com consequente morte de diversos peixes, algas, insetos e aves aquáticas.

Já os sabões são feitos de óleos ou gorduras que reagem com uma base forte, como o hidróxido de sódio (NaOH). Assim, os sabões são sais de ácidos carboxílicos, que são ácidos fracos. Na estrutura desses sabões, o hidrogênio do grupo carboxílico (─COOH) é substituído por íons sódio (Na+), potássio (K+) ou amônio (NH4+), como mostrado a seguir. O resultado é que todos os sabões são biodegradáveis.

Outro ponto negativo em relação aos detergentes é que muitos deles contêm íons fosfato em sua estrutura. Esses íons são utilizados pelas algas como nutrientes, assim, com esses detergentes sendo despejados nos rios, seus íons fosfato vêm aumentando drasticamente e essas algas se multiplicam em larga escala. Esse processo é denominado eutrofização e provoca a morte de peixes e outros seres vivos aquáticos, pois as algas vão cobrir as superfícies dos lagos, impedindo a entrada de luz e oxigênio na água.

Dessa forma, se olharmos a questão ambiental, o sabão em barra é a melhor opção.

About The Author

Thiago Itacaramby é jornalista diplomado e especialista em Marketing. Possui experiências profissionais nos setores público e privado. Atua em órgãos não governamentais ligados ao meio ambiente e possui conhecimentos na elaboração de projetos. Estudante de Gestão Ambiental no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).