Floripa

Redação EcoTelhado

Todas as edificações comerciais e residenciais com área acima de 200m² construídas em Florianópolis, capital de Santa Catarina, deverão ter captação de água das chuvas para reúso. A determinação consta do projeto de lei nº 1.231/2013, de autoria do vereador Pedro de Assis Silvestre (PP), aprovado pela Câmara Municipal de Florianópolis no dia 1º de fevereiro.

De acordo com o projeto, o sistema de captação e reúso de águas pluviais deve ser submetido a tratamento sanitário e a finalidade é para atividades que não exijam que a água seja potável, como para regar jardins ou para os vasos sanitários. As motivações para o texto, segundo o vereador Pedrão, é a grande quantidade de chuva na capital catarinense. “É necessário estimular as pessoas para que tenham atitudes mais conscientes. Além de ser ecologicamente correto, este sistema de captação é viável financeiramente, pois custa em torno de 1% do valor total da obra”, disse.

O texto da proposta também destaca que a elaboração e execução de leis neste sentido são fundamentais, principalmente, pelo fato de 80% da população brasileira viver em áreas urbanas, tornando assim urgente a implementação de condicionantes na esfera da construção civil favoráveis a um ambiente urbano mais harmonizado com as necessidades humanas, incluindo uma maior integração entre o meio ambiente e a qualidade de vida.

O Sistema Integrado Ecoesgoto é o sistema da Ecotelhado que faz o reuso de água, ele é uma nova geração de tratamento de efluentes, agregado a um design ecológico. É inovador porque une tecnologia e inclusão biológica no mesmo sistema, para que todo o processo de tratamento seja mais eficaz.

Saiba como funciona:

tratamento-de-esgoto

Vermifiltro: todo o efluente doméstico é direcionado para o Vermifiltro, onde a parte sólida será filtrada e digerida pelas minhocas, transformando-a em húmus que servirá de nutriente para as plantas.

Torre Verde: o efluente líquido que sai do Vermifiltro é encaminhado para a Torre Verde, que é cercada de vegetação por todos os lados, onde a água percola e é oxigenada antes de chegar no Ecotelhado/Wetland.

Ecotelhado / Wetland: a água chega no Wetland com 90% de limpeza. Nesta etapa, ocorre o tratamento por zona de raízes em toda extensão da laje, onde as bactérias alocadas nas raízes das macrófitas fazem o tratamento junto a fotossíntese das plantas.

Cisterna subterrânea: a água que excede o Ecotelhado depois do tratamento pode ser direcionada para um reservatório e ser utilizada para irrigação de vegetações (exceto hortaliças). Reutilização nos vasos sanitários. Obs: O Vermifiltro deverá ter um ladrão ligado a rede pública ou a um sumidouro para eventuais manutenções.

Alguns dos benefícios desse sistema são: Mimetização da ETE no paisagismo, mais economia, maior eficiência no tratamento, não causa odor, traz menor consumo de energia para atingir mesmos padrões de qualidade, melhor custo benefício, menor custo inicial de instalação quando a comparada à outras soluções, menor custo de manutenção anual, dispensa o uso de produtos químicos, sem necessidade de retirada de lodo.