O projeto do vereador prevê o plantio de espécies nativas nas coberturas dos prédios, que deverão ajudar a amenizar as ilhas de calor e a diminuir as temperaturas no interior da estrutura. | Foto:  Beach650/Flickr

O projeto do vereador prevê o plantio de espécies nativas nas coberturas dos prédios, que deverão ajudar a amenizar as ilhas de calor e a diminuir as temperaturas no interior da estrutura. | Foto: Beach650/Flickr

Redação Ciclovivo

Um projeto de lei apresentado na Câmara dos Vereadores de Curitiba quer determinar a construção de telhados verdes nos novos empreendimentos na capital paranaense. Se aprovado na cidade, a solução sustentável pode ajudar a reduzir o efeito das ilhas de calor e melhorar a qualidade do ar.

O projeto de lei foi apresentado pelo vereador Professor Galdino, que elaborou um texto para determinar que os edifícios residenciais e comerciais com mais de três andares ganhem um telhado ecológico na cobertura, para promover o desenvolvimento sustentável na cidade e ainda diminuir a temperatura nos apartamentos ou escritórios dos prédios.

Para a elaboração dos telhados verdes, o documento prevê o plantio apenas de espécies nativas, valorizando a flora da região de Curitiba, situada em clima subtropical. O texto do vereador também recomenda o plantio de espécies que não precisem de muita água, diminuindo o consumo do recurso e evitando a reprodução dos mosquitos que transmitem dengue.

Ainda em sua fase inicial, o projeto já foi aprovado pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação, mas depende da análise das autoridades responsáveis por meio ambiente e desenvolvimento sustentável na cidade. Para que o projeto seja efetivado, o texto ainda precisa ser aprovado pelos participantes da comissão e ainda ganhar o aval dos vereadores e a sanção, assinada pelo prefeito da capital paranaense.

A iniciativa foi inspirada em um projeto de lei apresentado em São Paulo, que enxerga o telhado ecológico como uma das soluções viáveis para garantir o desenvolvimento sustentável das grandes cidades do Brasil.