DA REDAÇÃO

O preço da carne já reflete sua raridade e a demanda contínua. Foto: Ilustração

O preço da carne já reflete sua raridade e a demanda contínua. Foto: Ilustração

A espécies de atum Thunnus orientalis, muito valorizada pelos amantes do sushi, viu sua população cair 96% no norte do Oceano Pacífico desde que passou a ser pescado, aponta um levantamento de um comitê internacional destinado ao estudo desse peixe naquela região. As informações são do Pew Environment Group, organização sediada nos EUA.

O relatório aponta que cerca de 90% dos exemplares pescados atualmente consiste em peixes jovens, que ainda não reproduziram. Isso significa que os peixes retirados do mar no Pacífico podem ser a última geração da espécie. Na semana passada, um atum foi vendido no Japão por mais de R$ 3,3 milhões, o que reflete sua raridade e a demanda contínua por sua carne, vendida a preços elevados em toda a Ásia e em alguns restaurantes ocidentais.

A espécie é considerada pelos cientistas como um dos habitantes mais bem-sucedidos da natureza no oceano. Ele é o maior dos atuns e está no topo da cadeia alimentar, com alguns poucos predadores naturais. Mas o advento de métodos de pesca industrial e gosto para a espécie entre os ricos adoradores do sushi deixaram o peixe à beira da extinção.

De acordo com a pesquisa, se as tendências atuais continuarem, a espécie será extinta em breve no Oceano Pacífico e os corpos congelados e mantidos em alguns armazéns asiáticos serão seu último suspiro.

About The Author

Thiago Itacaramby é jornalista diplomado e especialista em Marketing. Possui experiências profissionais nos setores público e privado. Atua em órgãos não governamentais ligados ao meio ambiente e possui conhecimentos na elaboração de projetos. Estudante de Gestão Ambiental no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

Related Posts