Maquinário usado nas atividades foi removido pelo BA (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Maquinário usado nas atividades foi removido pelo BA (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Atividade irregular acontecia no entorno do rio Falsino, em Tartarugalzinho. Suspeitos apreendidos com armas estavam sem licença para atuar.

Por John Pacheco/G1

Uma operação do Batalhão Ambiental (BA) em parceria com o Instituto de Mapeamento e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap) apreendeu na tarde de quinta-feira (23) armas e equipamentos mecânicos em uma área de garimpo ilegal no rio Falsino, um local de mata fechada no município de Tartarugalzinho, a 230 quilômetros de Macapá.

Ao todo dez pessoas foram detidas, sendo três suspeitos e sete pessoas que estavam no local. De acordo com a investigação, a área não tinha liberação ambiental e todos os procedimentos eram irregulares. Foram feitas escavações, abertura de valas, explosões e até o desvio do curso do rio para próximo do garimpo.

Parte do curso do rio Falsino foi desviado para atividade garimpeira (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Parte do curso do rio Falsino foi desviado para atividade garimpeira (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Os três suspeitos de atuar na área, sendo uma mulher, foram encaminhados na noite de quinta-feira para a delegacia da cidade. Foram apreendidas cinco espingardas calibre 12 com munição que também foram levadas para Tartarugalzinho.

A polícia apura a extração ilegal de tantalita na região, já que uma grande quantidade do produto foi encontrado no garimpo. O minério, comum no subsolo do estado, é valorizado pelo uso na indústria metalúrgica e tecnológica, pelo alto grau de resistência ao calor.

Apreensão ocorreu em área de mata fechada em Tartarugalzinho, no AP (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Apreensão ocorreu em área de mata fechada em Tartarugalzinho, no AP (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

A investigação na área partiu de um pedido do Ministério Público do Amapá (MP-AP) para a apuração de atividade potencialmente poluidora na área sem o uso de licença. O local foi totalmente fechado e interditado.

O Batalhão Ambiental reforçou que o trio pode responder pela ação de três formas: civil, criminal e administrativa, podendo ser enquadrado nos crimes contra a natureza em âmbito estadual e federal, resultando em multa e prisão.

Ao todo, dez pessoas foram detidas por policiais em área de garimpo ilegal (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)

Ao todo, dez pessoas foram detidas por policiais em área de garimpo ilegal (Foto: Dicom/Batalhão Ambiental)