Actor Leonardo DiCaprio accepts the award for Best Actor in,The Revenant on stage at the 88th Oscars on February 28, 2016 in Hollywood, California. AFP PHOTO / MARK RALSTON / AFP / MARK RALSTON (Photo credit should read MARK RALSTON/AFP/Getty Images)

Actor Leonardo DiCaprio accepts the award for Best Actor in,The Revenant on stage at the 88th Oscars on February 28, 2016 in Hollywood, California. AFP PHOTO / MARK RALSTON / AFP / MARK RALSTON (Photo credit should read MARK RALSTON/AFP/Getty Images)

HuffPost Brasil

Não, Leonardo DiCaprio não levou uma representante indígena para ler seu discurso de vitória no Oscar como fez Marlon Brando décadas atrás.

Mas, sim, ele ressaltou sua veia ambientalista em seu discurso de vitória. E que vitória sofrida: foram quatro indicações e derrotas mesmo quando era considerado favorito disparado (O Aviador e O Lobo de Wall Street).

Aplaudido de pé, DiCaprio agradeceu o companheiro Tom Hardy, o diretor Alejandro G. Inárritu, o primeiro latino a ser bicampeão como Melhor Diretor. “Obrigado a Alejandro G. Iñarritu e Chivo [o diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, também vencedor] por criarem uma experiência cinematográfica transcendente”.

E aí veio a bomba.

“O Regresso fala sobre a relação do homem com a natureza, um mundo que teve em 2015 o ano mais quente já registrado. Nossa produção teve que se mudar para a parte mais ao sul do planeta só para achar neve. A mudança climática é real. Está acontecendo agora”.

E foi em frente:

“É a ameaça mais urgente à nossa espécie, e precisamos trabalhar coletivamente e parar de procrastinar. Precisamos apoiar os líderes do mundo todo que não falam pelos grandes poluidores e grandes corporações, mas que falam por toda a humanidade, pelos povos indígenas do mundo, pelas pessoas desamparadas que serão as mais afetadas por isso, pelos nossos netos, e por essas pessoas que tiveram suas vozes afogadas pela ganância política“.

Aqui vai o vídeo, com legendas:

Dá para dar mais um Oscar para o Leo? Ele merecia…