Arrecadando cerca de 130 mil euros por ano, investe em projetos de conservação e reflorestamento em diversos lugares do mundo.

Arrecadando cerca de 130 mil euros por ano, investe em projetos de conservação e reflorestamento em diversos lugares do mundo.

Redação Ciclovivo

O mercado erótico é, sem dúvida, um negócio lucrativo. Ciente disso, a sueca Leona Johansson e o norueguês Tommy Hol Ellingsen fundaram a ONG Fuck for Forest a fim de arrecadar dinheiro para a preservação ambiental.

A organização da Dinamarca mantém um site com fotos e vídeos eróticos amadores, que são postados e acompanhados pelos membros. Na página, os criadores questionam: “Sexo geralmente nos atrai para a compra de produtos e ideais sem sentido. Por que não usar isso para uma boa causa?”.

Inicialmente, o grupo ganhou verba da Noruega, porém a imprensa local fez com que o apoio fosse cancelado. A ONG é mantida por cerca de mil assinantes que pagam para acessar o conteúdo do site. Quando não podem pagar, eles próprios enviam suas imagens e vídeos.

A Fuck for Forest se intitula como uma organização erótica e ecológica sem fins lucrativos. Arrecadando cerca de 130 mil euros por ano, investe em projetos de conservação e reflorestamento em diversos lugares do mundo, principalmente na Amazônia, com programas no Peru, Equador e Brasil.

Com a ajuda da ONG, um terreno em Roraima foi comprado e entregue aos índios locais, que perderiam suas terras para plantadores de arroz. Eles foram até a região, entraram na floresta tropical e a visita foi registrada no documentário F*ck for Forest.

O filme foi rodado por Michal Marczak. Ele afirma que a ideia era observar um “fenômeno social dos nossos tempos, sintomático da era digital”. O site também tem uma loja virtual, que vende camisetas, pôsteres, entre outras coisas. Com informações do UOL.

ongfloresta

About The Author

Noticiar o pensamento ecológico! Trazendo até vocês notícias e ideias que fazem a diferença para o meio ambiente e para a humanidade.