Eficiente sistema de produção de água potável é fruto de pesquisa entre chilenos e norte-americanos.  Foto: Paulo JS Ferraz/Flickr

Eficiente sistema de produção de água potável é fruto de pesquisa entre chilenos e norte-americanos.
Foto: Paulo JS Ferraz/Flickr

Redação Ciclovivo

Uma parceria entre pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica de Santiago e do MIT, nos EUA, deu origem a um novo sistema de geração de água potável, que reaproveita, com eficiência, a neblina. Inspirada na natureza, a nova tecnologia é capaz de armazenar o nevoeiro quase em sua totalidade, com o objetivo de garantir o acesso ao recurso natural nas localidades mais secas do Chile, onde a água é considerada como um bem muito valioso.

O sistema de convertimento, se baseia numa malha vertical muito fina, com o mesmo formato das redes utilizadas nas quadras de tênis. A estrutura captura a umidade da neblina, e, graças, a uma potente camada de proteção, transforma o acúmulo do fenômeno natural em água potável. Segundo informou o site internacional Wired, a técnica foi inspirada no mecanismo que algumas plantas e animais utilizam para obter o líquido nas regiões áridas.

Os pesquisadores estão otimistas em relação ao novo sistema de geração de água potável, mesmo que o processo dependa de uma variação natural para ser concluído. A invenção foi publicada em artigo na Langmuir, importante veículo acadêmico dos EUA. “A natureza já fez o trabalho mais difícil – evaporar a água, tirar o sal e condensar as gotas. Nós só precisamos colher o recurso”, explicou à publicação científica Gareth McKinley, engenheiro mecânico que participou do estudo.

A criação dos chilenos em parceria com os norte-americanos tem desempenho impressionante e vem aprimorar uma técnica que já é desenvolvida em 17 países, mas, em nenhuma das experiências anteriores, a eficiência pode ser comparada à atual. Isso porque, cinco vezes mais eficiente, a nova malha que faz a captura da neblina possui furinhos bem menores, que não permitem a evasão da água acumulada.