Vista de região de Nova York nesta terça-feira (11). A prefeitura da cidade estima que 800 mil pessoas podem estar vivendo em áreas inundáveis da cidade até 2050 (Foto: Seth Wenig/AP)

Vista de região de Nova York nesta terça-feira (11). A prefeitura da cidade estima que 800 mil pessoas podem estar vivendo em áreas inundáveis da cidade até 2050 (Foto: Seth Wenig/AP)

Prefeitura prevê investir US$ 19,5 bilhões para proteger metrópole. Calor pode tornar-se pior e nível do mar pode subir em 40 anos, diz estudo.

Redação G1

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, apresentou nesta terça-feira (11) um plano de US$ 19,5 bilhões de dólares para obras que protejam a cidade o impacto das mudanças climáticas. Contenções como muros e diques devem ajudar a prevenir inundações e danos causados por furacões como o Sandy, relata a agência de notícias France Presse.

A estimativa é que, próximo do fim do século, um quarto de toda a cidade de Nova York esteja em área inundável, numa área onde devem viver cerca de 800 mil pessoas, avalia Bloomberg. Ele divulgou um relatório de 400 páginas sobre os riscos que as mudanças climáticas representam para a metrópole.

Durante a passagem do Sandy, no fim de outubro, que chegou à Nova York como supertempestade, foi determinada a evacuação de 375 mil pessoas, aponta o estudo da prefeitura.

Danos materiais de bilhões de dólares e um apagão que durou vários dias também atingiram a cidade, na qual 43 pessoas morreram devido ao fenômeno climático, de acordo com a France Presse.

Próximos 40 anos
O estudo realizado pela cidade prevê que nos próximos 40 anos, o número de dias muito quentes no verão pode dobrar ou até triplicar. O nível do mar próximo à Nova York poderá subir mais de 0,6 metros do que é atualmente, de acordo com a agência de notícias Reuters.

O plano apresentado por Bloomberg visa garantir que o metrô, os esgotos, a oferta de água, o trânsito, o sistema de distribuição de energia e de alimentos continuem a funcionar sem serem afetados por estes efeitos no futuro.

Diante desta perspectiva, são propostos “37 projetos de defesa costeira”, entre eles uma rede de muros, diques, dunas e outros tipos de proteção no entorno da cidade, de acordo com o prefeito.

Seis metros
Alguns dos muros poderiam ter até seis metros de altura, e bloqueariam a vista da costa da cidade em Staten Island, na parte sul de Manhattan; Brooklyn, no sudeste da cidade, e em Queens, no nordeste, aréas muito afetadas pela supertempestade Sandy.

“Algumas das nossas proteções costeiras podem ser controversas. Algumas podem bloquear a vista. Mas a alternativa é ficar inundado ou pior. Não podemos frear a natureza. Então, se vamos salvar vidas, vamos ter que viver com nossas realidades”, argumentou.

Quanto aos custos do plano, Bloomberg afirmou que a chegada de um furacão como Sandy em 2050 custaria à cidade quase cinco vezes mais que os US$ 19 bilhões registrados como danos e prejuízos no ano passado.

“Sandy custou à nossa cidade US$ 19 bilhões em danos e atividade econômica perdida. Estimamos que uma tempestade como Sandy pode custar ao redor de US$ 90 bilhões em meados do século”, disse o prefeito de Nova York.

About The Author

Noticiar o pensamento ecológico! Trazendo até vocês notícias e ideias que fazem a diferença para o meio ambiente e para a humanidade.

Related Posts