Fonte da imagem: Reprodução/Huffington Post

Fonte da imagem: Reprodução/Huffington Post

Biólogos estão impressionados com as proporções do novo animal que foi encontrado em uma praia da Tasmânia

Uma espécie gigante de água-viva não identificada até então apareceu ontem na areia de uma praia na Tasmânia, um estado ao sul da Austrália continental. De acordo com o The Sidney Morning Herald, a família Lim estava procurando conchas na praia de Howden no mês passado quando se deparou com a criatura de 1,5 metros na costa.

Por se tratar de um caso excepcional, a família tirou fotos da água-viva gigante e encaminhou para o Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation(CSIRO), a agência nacional de ciência na Austrália. “Na Tasmânia, não temos águas-vivas. Isso era outra coisa. Nunca vimos nada como isso”, declarou Josie Lim sobre o animal que encontrou.

O que a família Lim não sabia é que no CSIRO, a Dr. Lisa-ann Gershwin – que estuda águas-vivas há 20 anos – já ouvia falar de ocorrências dessa espécie na região da Tasmânia há uma década. A bióloga revela que é questionada há anos sobre as criaturas grandes e esbranquiçadas “com uma mancha rosa no meio” que costumam aparecer nas águas da Tasmânia.

Fonte da imagem: Reprodução/Huffington Post

Fonte da imagem: Reprodução/Huffington Post

Novas espécies

Como já havia ouvido falar sobre o raro animal, a pesquisadora sabia que ele podia alcançar grandes proporções, mas o fato do animal encontrado ter 1,5 metros de diâmetro impressionou os especialistas.

Cerca de cinco anos atrás, conta a Dr. Gershwin, ela descobriu que havia três espécies de águas-vivas gigantes na Tasmânia. Desde então, ela se dedicou a conseguir amostras de duas das três espécies, que ainda não haviam sido catalogadas. A terceira água-viva – que foi a mais difícil de descobrir – acaba de ser encontrada.

“De repente, comecei a receber ligações e as pessoas me mandavam fotografias. Tinham certeza de que essa criatura é uma ameaça da estação, pois está aparecendo em grandes números”, revela a bióloga.

Depois de conseguir uma amostra, a pesquisadora acredita que o animal seja encontrado apenas no litoral sul da Tasmânia e que seja diferente das outras espécies por suas características musculares e tentaculares. O próximo passo da pesquisadora é descrever e nomear as três espécies para pedir que elas sejam devidamente catalogadas.