O restante das obras envolvendo as ciclovias e os bicicletários deve terminar em 2016 e coincidir com o fim das obras da Linha 4 do Metrô Foto: GERJ/Fotos Públicas

O restante das obras envolvendo as ciclovias e os bicicletários deve terminar em 2016 e coincidir com o fim das obras da Linha 4 do Metrô
Foto: GERJ/Fotos Públicas

Redação EcoDesenvolvimento

Com o objetivo de reduzir o trânsito e preservar o meio ambiente, a Linha 4 do Metrô (que ligará a Barra da Tijuca à Ipanema) está investindo na construção de mais de dois quilômetros de novas ciclovias e instalações de bicicletários para quase 600 bicicletas nas zonas sul e oeste do Rio. Até agora, a Linha 4 é a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina e está prevista para terminar em junho de 2016, informou a Agência Brasil.

De acordo com o plano de expansão das áreas para circulação de bicicletas no Rio, a reurbanização do entorno das novas estações São Conrado e Jardim Oceânico incluirá ciclovias compartilhadas. No bairro de São Conrado, a Linha 4 do Metrô vai implantar 300 metros de ciclovia entre a Avenida Niemeyer e a Estrada da Gávea. Já no Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, serão cerca de 800 metros na Avenida Armando Lombardi próximo a um dos acessos de passageiros da estação do BRT.

As obras foram iniciadas em agosto, atendendo a um pedido da Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura do Rio. Serão construídos, em integração ao Corredor Verde da cidade, mais 1,2 quilômetros da ciclovia que ligará o Pontal, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, às Vargens Pequena e Grande, na zona oeste, totalizando em 5,4 quilômetros de extensão. O trajeto levará os ciclistas até a região dos Jogos Olímpicos 2016, na Barra da Tijuca, incluindo também novas sinalizações horizontais e verticais.

Pelo menos 53 bicicletários foram instalados em parceria com a prefeitura do Rio em áreas próximas às estações do Metrô. Segundo a assessoria de imprensa do Consórcio Linha 4 Sul, alguns bicicletários instalados já estão em uso no bairro do Leblon. O restante das obras envolvendo as ciclovias e os bicicletários deve terminar em 2016 e coincidir com o fim das obras da Linha 4 do Metrô.