Os dois componentes do nanocompósito são organizados na forma de uma rede interpenetrante. [Imagem: Jongwook Kim et al. - 10.1021/acs.nanolett.5b02197]

Os dois componentes do nanocompósito são organizados na forma de uma rede interpenetrante. [Imagem: Jongwook Kim et al. – 10.1021/acs.nanolett.5b02197]

Redação do Site Inovação Tecnológica

Eletrocrômico

As janelas inteligentes prometem um novo salto de qualidade graças ao trabalho de Jongwook Kim e seus colegas da Universidade do Texas em Austin, nos EUA. Em 2013, a equipe desenvolveu uma janela inteligente capaz de regular a luz e o calor de forma independente.

Agora eles obtiveram dois avanços significativos na manipulação dos seus materiais eletrocrômicos: um modo frio altamente seletivo, e um modo quente mais eficiente.

Eletrocrômicos são materiais que mudam de cor pela aplicação de uma corrente elétrica. Com isto, a janela inteligente pode deixar passar a luz e bloquear o calor, ou deixar passar o calor e bloquear a luz.

Esse controle mais preciso e mais seletivo deverá ajudar a economizar na conta de energia, seja ela usada nos sistemas de ar-condicionado ou de aquecimento.

Rede interpenetrante

O modo frio do material permite controlar até 90% do calor e até 80% da luz visível. O chaveamento do modo frio para o modo quente, ou seja, fazer a janela inteligente mudar de comportamento, leva apenas alguns minutos.

A equipe otimizou o material organizando os dois componentes do compósito de forma a criar uma rede porosa, mas interpenetrante, criando rotas para o transporte de cargas eletrônicas e iônicas. Essa organização permite uma troca rápida entre os modos de operação.

O objetivo agora é desenvolver uma técnica de estruturação do nanocompósito eletrocrômico que possa ser utilizado em escala industrial a um custo competitivo.