Com previsão de ser concluída em 2016, usina no Rajastão vai produzir 4.000MW de energia limpa.  Foto: ricketyus/Flickr

Com previsão de ser concluída em 2016, usina no Rajastão vai produzir 4.000MW de energia limpa.
Foto: ricketyus/Flickr

Por Gabriel Felix/CicloVivo

O governo indiano anunciou que vai aproveitar a forte incidência de raios de sol na região desértica do Rajastão para construir o maior parque de geração fotovoltaica do mundo. Batizada de “Ultra-Mega Green Solar Power Project”, a central terá capacidade de produzir 4.000 MW, e ficará localizada a cerca de 75 quilômetros de Jaipur, importante centro urbano do país asiático.

O projeto será financiado pelo capital de empresas estatais, e terá o dobro da capacidade atual de todos os centros de geração de energia renovável no país. A Índia é um dos países que mais dependem das usinas de carvão mineral no mundo, que causam preocupantes índices de contaminação no meio ambiente, impactando negativamente na economia, e, principalmente, na saúde das pessoas.

O anúncio da construção do projeto para a imprensa internacional foi realizado por um documento online, e, de acordo com o site The Economic Times, o parque solar ocupará uma área de 93 mil quilômetros. As obras serão divididas em etapas: a primeira fase deverá ser concluída em 2016, garantindo à maior central do mundo a capacidade de geração de 1.000 MW.

O projeto do parque solar representa não só uma preocupação ambiental, mas, principalmente, um avanço social no país, que enfrenta sérios problemas de infraestrutura e precisa de urgentes obras de modernização, sobretudo nas regiões mais populosas. Assim, a usina de geração fotovoltaica será um dos símbolos de revitalização socioambiental. Recentemente, a companhia de trens da Índia anunciou a implantação de sistemas de ar-condicionado movidos a energia solar para os vagões.