Dispositivo australiano permite que células solares sejam inseridas numa superfície a cada 2s.  Foto :Divulgação/CSIRO

Dispositivo australiano permite que células solares sejam inseridas numa superfície a cada 2s.
Foto :Divulgação/CSIRO

Por Gabriel Felix/CicloVivo

Pesquisadores australianos da Universidade de Melbourne, do Victorian Organic Solar Cell Consortium e da agência CSIRO desenvolveram uma nova impressora, capaz de inserir painéis fotovoltaicos em pedaços de plástico e metal. O equipamento tecnológico consegue imprimir as células solares em altas velocidades – de acordo com os inventores, elas são inseridas no espaço de uma folha A3 em apenas dois segundos.

O dispositivo pode facilitar a geração de energia renovável no mundo inteiro, e a fabricação dos painéis fotovoltaicos ocorre quando as tintas semicondutoras de eletricidade são colocadas em cima dos pedaços de plástico ou de metal, a um ritmo de uma célula solar a cada dois segundos. Como a impressora utiliza materiais flexíveis, as estruturas criadas no sistema tornam-se mais versáteis do que os painéis solares convencionais.

A imagem acima demonstra o processo interno da impressora especial. Foto: Reprodução/Youtube

A imagem acima demonstra o processo interno da impressora especial. Foto: Reprodução/Youtube

Devido à flexibilidade do material, os cientistas acreditam que as estruturas fotovoltaicas impressas possam ser instaladas não só nos telhados das casas, mas também em janelas e até mesmo em computadores, celulares, tablets e outros dispositivos móveis, fazendo com que a bateria dure mais tempo.

Diferente da maioria dos novos produtos de tecnologia verde, a impressora rápida de painéis solares já pode ser levada pra casa – mas o equipamento custa, em média, 425 mil reais. A Universidade de Melbourne aceita encomendas, o que possibilita muitas residências, empresas e fábricas a criarem seus próprios módulos de energia limpa instantaneamente.

Confira o vídeo abaixo (em inglês), produzido pela CSIRO: