Mar de Aral visto em foto de satélite feita em 2008 (esq.) e neste domingo (22) (Foto: Nasa/AFP)

Mar de Aral visto em foto de satélite feita em 2008 (esq.) e neste domingo (22) (Foto: Nasa/AFP)

Para cientistas, recuo é um dos piores desastres ambientais do planeta. Além de poluído, mar menor causa verão mais quente e inverno mais frio.

Do G1

Duas imagens de satélite feitas pela agência espacial americana (Nasa) revelam uma impressionante redução do volume do Mar de Aral nos últimos cinco anos. A primeira foto foi feita em 2008 e a segunda, neste domingo (22).

Esse lago de água salgada, localizado na Ásia Central, entre o Cazaquistão e o Uzbequistão, já foi o quarto maior do mundo, com 68 mil km² de área.

Desde a década de 1960, porém, o Mar de Aral tem perdido volume de água depois que rios que o alimentavam foram desviados para atender a projetos de irrigação soviéticos.

Em 2007, o lago ficou com apenas 10% de seu tamanho original, dividindo-se em quatro partes. Em 2008, a profundidade máxima do local não passava de 42 metros.

Segundo cientistas, a diminuição do Mar de Aral é um dos piores desastres ambientais já vistos no planeta. A indústria pesqueira da região ficou destruída, trazendo desemprego e dificuldades econômicas.

Além disso, a água está fortemente poluída, provocando problemas graves de saúde pública. O recuo do mar também já teria provocado mudanças climáticas, com verões cada vez mais quentes e secos e invernos mais frios e longos.