Fiscal do Ibama. Fotos: Renê Oliveira

Fiscal do Ibama. Fotos: Renê Oliveira

Ascom Ibama

Operação realizada pelo Ibama no município de Espigão do Oeste (RO), a 550 km de Porto Velho, resultou na aplicação de 26 autos de infração, que totalizam cerca de R$ 8 milhões em multas, e na apreensão de 8,5 mil metros cúbicos de madeira até o momento. O produto florestal apreendido seria suficiente para encher 470 caminhões toreiros.

Resultado de trabalho de inteligência que identificou transações virtuais entre Planos de Manejo Florestal fraudulentos e 15 serrarias, a Operação Virtualis combate o comércio ilegal de madeira extraída principalmente das Terras Indígenas Sete de Setembro e Roosevelt.

As investigações apontam estabelecimentos que movimentaram ilegalmente créditos no sistema do Documento de Origem Florestal (DOF) procedentes de Planos de Manejo Florestal de Rondônia ou de empresas madeireiras do Mato Grosso, com a intenção de “esquentar” madeira ilegal.

Toras apreendidas. Fotos: Renê Oliveira

Toras apreendidas. Fotos: Renê Oliveira

“Além de causar danos ambientais incalculáveis, organizações criminosas que atuam no estado  enfraquecem o setor florestal, comercializando produtos sem origem legal, deixando de recolher impostos e competindo deslealmente com empreendimentos regulares. As fraudes serão combatidas pelo Ibama e encaminhadas à Polícia Federal e à Receita Federal para apuração nas esferas criminal e tributária”, disse o superintendente do Ibama em Rondônia, Renê Luiz de Oliveira.

A Operação Virtualis, que já resultou no ajuste de pelo menos 15 mil metros cúbicos de madeira no DOF, prevenindo a exploração ilegal em cerca de 1000 hectares (1000 campos de futebol), continuará sendo realizada por prazo indeterminado.