OndaVerde01_fotoNicelioHeliaPatria

Por Nicélio Silva/Ibama-MT

A operação Onda Verde, deflagrada no mês de fevereiro pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em seis locais estratégicos com riscos de desmatamento ilegal na Amazônia, continua agindo no combate aos criminosos ambientais. Mato Grosso que vinha atuando em duas bases, Juína e Sinop, agora receberá mais duas bases de fiscalização com a chegada da Operação Hiléia Pátria, que trará a participação do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e do Exército Brasileiro por tempo indeterminado.

O decreto nº 7957/2013 instituiu o Gabinete Permanente de Gestão Integrada para Proteção do Meio Ambiente e regulamentou a atuação das Forças Armadas na proteção ambiental. Em Mato Grosso o Exército estará participando por meio do Comando Militar Oeste e serão empregados soldados da 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, de Cuiabá, no apoio de inteligência, comunicações, segurança e instrução aos agentes do Ibama. Haverá utilização de veículos, inclusive helicópteros, para transporte de homens e, também, de caminhões para o transporte de bens apreendidos.

No último dia 11 aconteceu uma reunião na Gerência Executiva do Ibama em Sinop, com participação de oficiais do Exército e técnicos do Censipam, para definir a logística de apoio as bases da Operação Hiléia Pátria na região. Estarão sendo montadas, inicialmente, uma base em Marcelândia e outra em Feliz Natal, mas a atuação se estenderá aos municípios circunvizinhos, especialmente aos localizados entre a BR-163 e Parque Indígena do Xingu.

“Com a Operação Hiléia Pátria continuaremos atuando em caráter ostensivo, preventivo e permanente”, afirma o Superintendente do Ibama no Mato Grosso, Marcus Keynes. “Com o apoio do Exército seguiremos punindo os desmatadores e demais criminosos ambientais com maior efetividade”, conclui Keynes.

OndaVerde02_fotoNicelioHeliaPatria

Resumo Semestral da Onda Verde

O Ibama encerrou o primeiro semestre de 2013, em Mato Grosso, com um saldo de mais R$ 242 milhões de reais de multas, referentes a lavratura de 492 autos de infrações por crimes ambientais. Dezenas de agentes de fiscalização de várias unidades da federação, com o apoio da Força Nacional e do Batalhão da Policia Ambiental/MT, participaram das ações que se concentraram nas bases de Sinop e de Juina, vistoriando mais de 400 polígonos de desmatamento apontados pelo sistema Deter (Detecção de Desmatamento em Tempo Real), que funciona a partir de imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Foram lavrados mais de 80 termos de apreensão, incluindo uma aeronave, 45 tratores, 22 caminhões, sete colheitadeiras e mais de 200 toneladas de grãos. E quase 55 mil hectares (54.897) de áreas foram embargadas pelos agentes ambientais.

Grande parte dos grãos apreendidos foi doada para programas sociais e para merenda escolar. Todos os indivíduos e empresas que participaram da produção, armazenamento e comercialização de grãos produzidos em áreas embargadas foram ou serão autuados por participarem de crime ambiental.

O Ibama tem recebido o apoio de diversas prefeituras municipais para facilitar a destinação dos bens apreendidos. A população está percebendo que as atividades ilegais não trazem benefícios permanentes para seus municípios e tem colaborado na denúncia dos crimes ambientais.

Os empresários que querem trabalhar com madeira na legalidade têm sido os primeiros a procurar o Ibama para fazer o recadastramento obrigatório no CTF/APP – Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras – que começou no dia primeiro de julho, em conformidade com a Instrução Normativa do Ibama nº 06/2013.

Nova frota do Ibama

Na última terça-feira (16) aconteceu a renovação da frota de veículos do Ibama em Mato Grosso. O superintendente do Ibama, Marcus Keynes, informa que “56 veículos novos, apropriados para as estradas da região amazônica, do tipo 4×4, de cabine dupla, equipadas com guincho, radio-comunicador e rastreamento por satélite, estarão a disposição das equipes que executam as atividades finalísticas do Ibama”.

Aproximadamente 80% dos veículos serão utilizados nas operações de fiscalização. As operações do Ibama recebem, também, o apoio aéreo de vários helicópteros para agilizar a localização de desmatamentos ilegais e monitoramento das áreas embargadas.