THIAGO ITACARAMBY

A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata em relação aos hotéis. Foto: Reprodução

A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata em relação aos hotéis. Foto: Reprodução

Ações colaborativas vêm ganhando adeptos de todo país. Agora é a vez da hospedagem colaborativa. O site www.ficalaemcasa.com.br é uma oportunidade onde anfitriões e hóspedes se cadastram no empreendimento digital e agendam os períodos em que vão ficar nos espaços disponibilizados por proprietários de casas e imóveis. O preço das diárias é combinado entre eles e o site é remunerado pelo hóspede (12%) e anfitrião (3%), de acordo com o valor.

A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata do que em hotéis e pousadas. Serviços como café da manhã, acesso a internet, lavanderia, entre outros, são combinados entre anfitriões e hóspedes diretamente. O empreendimento digital Fica lá em Casa está no mercado há apenas dez meses e já possui 180 espaços cadastrados, principalmente na cidade do Rio de Janeiro e na capital paulista.

Entre eles, há quartos, suítes, casas na praia ou de campo, quintais e até sofá na sala do anfitrião cadastrado. Cinquenta e cinco por cento são casas e 45%, espaços ociosos. A hospedagem colaborativa fica 80% mais barata em relação aos hotéis. Até o momento, a maioria dos hóspedes do Fica lá em Casa é de brasileiros.

Ganho cultural

Além do aspecto ambiental, o anfitrião propicia experiência inédita ao hóspede, que pode conhecer a rotina de um lar brasileiro. Além da renda extra, a convivência com o turista de outra região ou país poderá significar ganho cultural para o anfitrião.

Desde o lançamento do empreendimento digital, o número de espaços cadastrados cresceu 120%. Eles estão nas regiões sudeste, sul, nordeste e centro oeste. O Rio é destino campeão. A maioria dos hóspedes está na faixa etária próxima de 30 anos e são universitários.

About The Author

Thiago Itacaramby é jornalista diplomado e especialista em Marketing. Possui experiências profissionais nos setores público e privado. Atua em órgãos não governamentais ligados ao meio ambiente e possui conhecimentos na elaboração de projetos. Estudante de Gestão Ambiental no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

Related Posts