Foto: Spotter2

Resolução da Aneel permite que brasileiros possam gerar eletricidade solar e injetá-la na rede. Foto: Spotter2

Redação Ecodesenvolvimento

Incentivar empresas e residências a viabilizarem economicamente a produção de energia fotovoltaica em microgeradores de até 5 kW de potência máxima. Este é o objetivo do Fundo Solar, projeto inédito no Brasil, lançado no dia 13 de maio pelo Instituto Ideal, durante o seminário Energia + Limpa, realizado na Universidade Federal de Santa Catarina.

Criado em parceria com o Grüner Strom Label (GSL – Selo de Eletricidade Verde da Alemanha) e com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), o Fundo tem recursos iniciais de 25 mil euros (cerca de 65 mil reais). Conforme Antje Fehr, gerente de projetos e de clientes do GSL, que veio da Alemanha especialmente para o lançamento, esses recursos foram repassados ao GSL por uma associação alemã que atua na área de eficiência energética e que oferece produtos com o selo GSL.

Uma das exigências para ter o selo GSL é que para cada kWh da energia certificada que for vendida na Alemanha, a empresa destine 0,01 euro para ser investido em novos projetos de geração a partir de fontes renováveis na própria Alemanha ou em outros países. Os recursos podem ser aplicados segundo regras pré-estabelecidas ou podem ser transferidos para que o GSL aplique diretamente em projetos que estejam dentro de seus critérios de desempenho, como no caso do Fundo Solar.

O valor a ser disponibilizado para cada instalação será calculado considerando a localização do microgerador, uma vez que será necessário saber a tarifa de energia elétrica e a irradiação solar.

O gestor do Fundo Solar no Instituto Ideal, Peter Krenz, destacou a importância da Resolução 482/2012 da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), um estímulo para que empresas ou residências possam gerar eletricidade solar e injetar na rede. “Ainda falta conhecimento sobre o assunto, que é novo no Brasil. Por isso, queremos fazer a nossa parte e aumentar a viabilidade econômica, garantindo a boa qualidade do sistema fotovoltaico”, explicou.

Tarifa e irradiação

O valor a ser disponibilizado para cada instalação será calculado considerando a localização do microgerador, uma vez que será necessário saber a tarifa de energia elétrica e a irradiação solar. Segundo Krenz, o fundo deve ser solicitado antes da instalação do sistema fotovoltaico na edificação. O repasse do recurso financeiro será feito após o sistema estar em operação, gerando energia e conectado à rede.

Para que as pessoas possam avaliar as possibilidades de geração em sua casa ou negócio, o Ideal já disponibilizou outra ferramenta, o Simulador Solar, lançado em março, que permite o cálculo da potência de um sistema fotovoltaico para atender a necessidade energética anual de um imóvel.