Imagem: Antti Veijola

Imagem: Antti Veijola

Redação Inovação Tecnológica

Quem disse que painéis solares precisam ser escuros, planos e ficarem em cima do telhado?

Tirando proveito dos avanços no campo das células solares orgânicas, Tapio Ritvonen e seus colegas do Centro de Pesquisas Técnicas da Finlândia estão criando painéis solares que não são exatamente painéis.

Como as células solares orgânicas são flexíveis, transparentes e fabricadas sobre materiais plásticos, é possível usá-las para recobrir qualquer superfície, incluindo vidros de janelas e objetos decorativos.

Embora fazer isso como curiosidade não seja exatamente um desafio, Ritvonen desenvolveu uma técnica para fabricar em escala industrial esses elementos de design com capacidade de geração de eletricidade.

Imagem: Antti Veijola

Imagem: Antti Veijola

Folhas solares

As “folhas solares” foram as que mais chamaram a atenção pelo seu apelo às “tecnologias verdes” para geração de eletricidade.

Cada folha tem uma superfície útil – recoberta com células solares – de 0,0144 m2. Cerca de 70 folhas formam um painel solar ativo de 1 m², capaz de gerar 3,2 amperes de eletricidade com 10,4 watts de potência, segundo Ritvonen.

Cada painel solar flexível é impresso em um material plástico transparente, atingindo meros 0,2 milímetro de espessura – incluindo os eletrodos para retirada da eletricidade -, o que permite seu uso para revestir outros materiais.

Tendo sido testada em uma fábrica modelo existente dentro da Universidade, a tecnologia já está sendo licenciada para parceiros da indústria.