Pesquisadores analisam comportamento de baleias durante experimento que mede impacto dos sonares militares sobre esses animais (Foto: Divulgação/John Calambokidis)

Pesquisadores analisam comportamento de baleias durante experimento que mede impacto dos sonares militares sobre esses animais (Foto: Divulgação/John Calambokidis)

Pesquisa detectou alterações no comportamento de mamíferos aquáticos. Dados podem impactar atividades da marinha britânica.

Do G1/Natureza

Cientistas da Universidade St. Andrews, no Reino Unido, descobriram que as baleias-bicudas-de-cuvier (Ziphius cavirostris) são muito sensíveis aos sonares militares, equipamentos que emitem frequências acústicas para auxiliar na navegação, pesca ou, ainda, em casos de guerra, para localização de submarinos.

Os dados, publicados nesta semana na revista “Biology Letters”, apontam que esses mamíferos aquáticos, quando expostos a este tipo de som, inclusive a níveis baixos, reagem de maneira extrema.

Eles interrompem sua alimentação ou nadam de forma rápida para se afastar do local de transmissão. Além disso, só retomam seu comportamento normal cerca de quatro horas após a exposição ao sonar.

Segundo um dos pesquisadores, o resultado do estudo pode ter implicações importantes para a Marinha britânica que, a longo prazo, pode trabalhar para reduzir os impactos sobre essas espécies.