A malária é uma das doenças que mais matam em regiões subdesenvolvidas.  Foto :Reprodução/Vimeo

A malária é uma das doenças que mais matam em regiões subdesenvolvidas.
Foto :Reprodução/Vimeo

Redação Ciclovivo

Dois estudantes de Burkina Faso desenvolveram um sabonete de ervas capaz de diminuir o número de casos de malária. O produto recebeu o nome de Faso Soap – e, mesmo depois do banho, as substâncias do sabonete permanecem misturadas na água, matando as larvas dos mosquitos mais resistentes e aquelas que podem se desenvolver nos canais ou nas proximidades da rede de esgotos.

O Faso Soap foi criado no Instituto Internacional de Água e Engenharia Ambiental de Ouagadougou, capital do país africano, que registra um dos maiores índices de transmissão da doença ao redor do mundo. O produto utiliza ingredientes simples em sua fabricação, como ervas facilmente encontradas no país, manteiga de karité e óleos essenciais.

O sabonete especial foi apresentado durante um concurso realizado pela Universidade de Berkeley, na Califórnia, e rendeu aos estudantes um prêmio de 25 mil de dólares, que deverão ser usados na fabricação do sabonete em larga escala. Moctar Dembélé e Gerard Niyondiko, os dois criadores, não revelaram o segredo de fabricação à imprensa internacional, mas a meta é introduzir o produto no mercado a partir de 2015.

Primeiramente, os dois realizarão esforços para distribuir o sabonete à população carente, que não tem acesso aos serviços de saneamento básico e produtos de higiene. “Pensamos em um sabonete repelente e capaz de matar as larvas, que estará acessível para a maioria da população, uma vez que o sabão é um produto a base de ingredientes regionais”, explicou Niyondiko ao portal de notícias CNN.

A malária é uma das doenças mais comuns em regiões subdesenvolvidas. Segundo relatório produzido pela ONU, cerca de 40% da população mundial pode adquirir o mal ao longo da vida. No continente africano, devido à carência de sistemas de saneamento básico avançados, a doença se prolifera com muita facilidade.