energia-solar

Carvão e gás que representam 6% da matriz energética do país não é mais rentável.

Por Daniel Valle/Ecopensar

A Rheinisch-Westfälisches Elektrizitätswerk (RWE), a principal empresa de energia alemã, informou que por causa do recorde alcançado na geração de energia solar, a matriz de energia fóssil – dividido entre gás e carvão, que atualmente responde por apenas 6% da matriz energética do país, deixou de ser competitiva.

A boa notícia foi anunciada durante um comunicado onde afirmou-se sobre o aumento contínuo de produção de energia solar, que muitas usinas de matriz fóssil, em toda a Europa, deixaram de ser rentáveis ​​para operar. Durante o primeiro semestre de 2013, como resultado, a geração operacional de energia “convencional” caiu quase dois terços.

Isso corresponde a 6,5 gigawatts (GW) de capacidade de geração de energia pela matriz fóssil comparado ao registro de 5,1 terawatts hora (TWh) da energia solar. Estes dados foram obtidos em julho, de acordo com a plataforma de transparência EEX, e que representou um aumento de 42% no mesmo mês em 2012.

A enorme capacidade de energia solar na Alemanha vem de telhados de casas e empresas – cerca de 51% de energias renováveis ​​no país é de propriedade dos cidadãos e a incorporação maciça de instalações de energia solar no país também contribuiu para a redução do preços de energia solar de forma significativa nos últimos anos.

Sem ir muito longe, o maior teto solar da Europa, o telhado do prédio de uma empresa de logística sul de Frankfurt, é coberta com 33 mil painéis solares são capazes de gerar 8,1 MW (energia suficiente para fornecer eletricidade para 1.846 famílias), e evita a emissão de 5.000 toneladas de CO2 por ano. (foto abaixo)

Maior teto solar da Europa fica na Alemanha e é capaz de gerar 8,1 MW

Maior teto solar da Europa fica na Alemanha e é capaz de gerar 8,1 MW

Sabemos que você pode seguir o exemplo em qualquer país, em menos de cinco anos, se houver vontade política para implementá-la, de acordo com o especialista alemã, Ursula Eicker. Com informações: VeoVerde.