A facilidade com que o TiO2 é encontrado promete melhorar muito o aproveitamento da energia limpa. - Foto: Cortes de Cima/Flickr

A facilidade com que o TiO2 é encontrado promete melhorar muito o aproveitamento da energia limpa. – Foto: Cortes de Cima/Flickr

Redação Ciclovivo

Uma recém-descoberta pode tornar mais eficiente o aproveitamento da energia renovável. Pesquisadores da Universidade Nacional da Austrália acreditam que o dióxido de titânio (TiO2) tenha todas as propriedades necessárias para melhorar o armazenamento energético.

A descoberta foi anunciada na última segunda-feira (1) e é um passo importante para o desenvolvimento de novas tecnologias, já que este é um material abundante e bastante comum, usado em larga escala na indústria. Essa facilidade com que o TiO2 é encontrado promete melhorar muito o aproveitamento da energia limpa.

Durante anos os pesquisadores procuraram algum material que pudesse equilibrar a energia que é destinada às redes de transmissão. O desafio é maior com as energias renováveis, como solar e eólica, porque a produção é intermitente, ou seja, varia de acordo com as condições climáticas. Sendo assim, é necessário criar sistemas de armazenamento que permitam a distribuição homogênea independente da produção.

Em declaração à agência EFE, a pesquisadora Yun Liu, que integra a equipe australiana, explicou que o dióxido de titânio possui as três características necessárias para integrar o condensador elétrico ideal: constante dielétrica elevada para armazenar muita energia, baixa perda dielétrica e capacidade de resistir a diversos níveis de temperatura.

Foram necessários cinco anos de trabalho para que o grupo chegasse ao modelo ideal. “É um sonho que se tornou realidade”, declarou Liu. A novidade poderá ser aplicada em veículos elétricos e outras tecnologias sustentáveis.