©edvvc/Creative Commons

©edvvc/Creative Commons

Por Agustín Ferro/Discovery Brasil

A deterioração do meio ambiente está obrigando as montadoras a investir em energias alternativas para impulsionar os novos modelos. Mas isso não se aplica só aos utilitários: na última década, surgiu uma nova geração de superesportivos híbridos elétricos, mostrando até onde podem chegar as inovações tecnológicas, que logo estarão circulando pelas ruas.

O mercado de carros elétricos ainda é reduzido, mas seus avanços técnicos promovem o desenvolvimento de veículos híbridos (que combinam motores elétricos e a combustão), que têm mais aceitação entre o público e representam 1% das vendas globais, com modelos de sucesso, como o Toyota Prius.

Em geral, os avanços técnicos no desenvolvimento de motores de emissão zero nascem nos veículos de competição: a Federação Internacional do Automóvel (FIA) promove a Fórmula E, categoria que pretende ser a F1 dos veículos elétricos. A Audi venceu as últimas 24 horas de Le Mans pela primeira vez na história com uma equipe de carros híbridos.

Conheça abaixo os novos superelétricos que estão expandindo os limites da mobilidade sustentável.

Mercedes Benz SLS AMG Electric Drive

©generaly/Creative Commons

©generaly/Creative Commons

Um dos modelos de maior sucesso é o clássico “asa de gaivota”, com quatro motores elétricos (um em cada roda), que distribuem a tração de maneira independente, e um sistema que permite acelerar, frear e virar com mais eficiência que os melhores carros de corrida. Com 740 cavalos de potência (há modelos médios que não precisam de mais de 150), é o veículo elétrico mais potente do mundo. A Mercedes leva cem dias para fabricar cada unidade, por encomenda, e seu preço ronda os 500 mil dólares.

Tesla Roadster

©randychiu/Creative Commons

©randychiu/Creative Commons

Com o apoio da britânica Lotus, a norte-americana Tesla constrói exclusivamente superesportivos elétricos.

Já vendeu mais de 2.500 unidades do Roadster, seu modelo de maior sucesso: 250 cavalos de força, autonomia de 360 quilômetros e carregamento total das baterias em menos de quatro horas.

Infiniti LE

©nanpalmero/Creative Commons

©nanpalmero/Creative Commons

Além do carregamento rápido de 80% em apenas meia hora, este luxuoso sedan elétrico japonês possui um sistema de estacionamento inteligente que permite recarregar as baterias por indução, sem necessidade de conectar nenhum cabo. Só é necessário posicionar o carro sobre a área de recarga e controlar tudo por meio de um smartphone.

Audi R18 e Tron Quattro

©supermac/Creative Commons

©supermac/Creative Commons

A Audi bateu um recorde histórico ao vencer pela primeira vez as 24 horas de Le Mans com veículos híbridos. Os Audi R 18 e o Tron Quattro ocuparam o primeiro e segundo lugar no pódio, combinando um motor 3.7 V6 turbo diesel para a tração traseira e um motor elétrico para a tração dianteira. O veículo reutiliza a inércia e a energia residual da frenagem para complementar a alimentação das baterias.

Em 2014, será organizado o primeiro campeonato de Fórmula E, com veículos com cockpit aberto movidos apenas por motores elétricos. O evento acontecerá em circuitos urbanos e deve gerar uma sensação um tanto estranha, sem o típico barulho ensurdecedor dos motores a combustão.

O que você achou da nova geração de carros esportivos?