O corpo humano necessita de 13 diferentes tipos de vitaminas para ter um funcionamento normal.  Foto: SXC

O corpo humano necessita de 13 diferentes tipos de vitaminas para ter um funcionamento normal.
Foto: SXC

Redação Ciclovivo

Presentes em quase todos os alimentos naturais, as vitaminas são compostos orgânicos essenciais para o funcionamento normal do metabolismo humano. Comer os alimentos certos diariamente pode suprir as necessidades do organismo, evitando o surgimento de patologias como insônia, raquitismo, osteoporose, anemia, seborreia, dor de cabeça, dermatite, diarreia, depressão, cálculos renais entre outras doenças.

“Por não serem produzidas pelo organismo, exceto a vitamina D que é gerada em pequena quantidade, é extremamente importante realizar dietas balanceadas e ricas em vitaminas, pois elas favorecem as necessidades do corpo, beneficiando as funções dos órgãos”, explica a Dra. Ligia Raquel Brito, clínica geral do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

O corpo humano necessita de 13 diferentes tipos de vitaminas para ter um funcionamento normal. Essas vitaminas são divididas em dois grupos: lipossolúveis e hidrossolúveis. As lipossolúveis são gorduras absorvidas junto com a substância, podem acumular no organismo e alcançar níveis tóxicos. São as vitaminas A, D, E e K.

Já as vitaminas solúveis em água, as chamadas hidrossolúveis, são as presentes no complexo B e na vitamina C. Eliminadas pela urina, essas vitaminas não acumulam no organismo e por isso exigem o consumo de doses diárias para reposição.

“As vitaminas não funcionam como constituintes do nosso corpo ou como fonte de energia, mas são indispensáveis para que ele possa funcionar. Apesar de existirem no corpo em quantidades mínimas, cada vitamina tem um papel importante no funcionamento de alguma parte do organismo ou na formação de determinado tecido ou órgão”, esclarece a médica.

Com funções diferentes, as vitaminas são importantes para a estrutura dos ossos (D), resistência dos dentes (A e D), cicatrização de feridas (A, E e K), interrupção de hemorragias (K), anemia (B) e sangramento em gengivas. Porém, é preciso ficar atento, os suplementos e remédios vitamínicos devem ser consumidos apenas com acompanhamento clínico e laboratorial, pois o excesso de vitaminas pode ocasionar diversos efeitos colaterais.

Segunda a nutricionista Katia Terumi, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, são recomendadas cerca de 100 gramas de cada vitamina diariamente. Veja abaixo tabela com as possíveis patologias por carência de vitamina:

Vitamina A – Problemas de visão, secura na pele, diminuição de glóbulos vermelhos e formação de cálculos renais

Vitamina D – Raquitismo e Osteoporose

Vitamina E – Dificuldades visuais e alterações neurológicas

Vitamina K – Deficiência na coagulação do sangue e hemorragias

Vitamina B1 – Beribéri

Vitamina B2 – Inflamações na língua, anemias e seborreia

Vitamina B5 – Fadigas, cãibras musculares e insônia

Vitamina B6 – Seborreia, anemia e distúrbios de crescimento

Vitamina B12 – Anemia perniciosa

Vitamina C – Escorbuto

Vitamina H – Eczemas, exaustão, dores musculares e dermatite

Vitamina M ou B9 – Anemia megaloblástica e doenças do tubo neural

Vitamina PP ou B3 – Insônia, dor de cabeça, dermatite, diarreia e depressão